7 Canções que Comemoram dia 25 de Abril

7 Canções que Comemoram dia 25 de Abril, São canções de mediação e também canções de protesto. Todas cantadas em luso, mesmo que uma transportar-se de terras brasileiras

Na semana no qual se celebram os 43 anos sobre o 25 do mes de Abril, lembramos pequeno número de  canções que lutaram em oposição a o regime instaurado – antes que e também depois da Revolução dos Cravos – se bem que os temas cantados não sejam políticos.

Conheça inferior as sugestões para esta semana no qual se celebram quarenta anos do termo da despotismo em Portugal.

Foi escrita no exílio por Manuel Feliz, musicada por António Portugal e também cantada por Adriano Correia de Oliveira, um dos mas talentosos cantores portugueses da segunda metade do século XX. Esta música sobre a experiência do exílio político foi mas inoportunamente gravada por Amália no disco Com que Voz.

Símbolo da cantiga de mediação e também protesto

José Afonso é um dos músicos portugueses mas conhecidos. Para este reconhecimento contribuíram discos clássicos como Cantares de Andarilho, Venham Mas Cinco, Cantigas do Maio ou Traz Outro Companheiro Também e também canções como Grândola Vila Morena, Os Vampiros ou Vejam Muito. Para festejar os 43 anos do dia da Revolução dos Cravos escolhemos uma melodia gravada em 1976 para o disco Com as Minhas Tamanquinhas, Os Índios da Meia-Praia.

Em 1971, Sérgio Godinho editou o seu primeiro registo, Os Sobreviventes. Impresso em França, o disco terminava com Maré Subida, onde o músico adianta que a \”Liberdade está a passar por cá \”. A liberdade que Godinho referia só chegaria a Portugal três anos depois, no dia 25 de Mocidade de 1974.

Chico Buarque não ficou alheio à Revolução dos Cravos,

ele também desejava o mesmo para o Brasil, ainda sob a absolutismo de Getúlio Vargas. Porém rápida percebeu que a \”semente\” de Adolescência não tinham tido o prolongamento que o mesmo desejava. Então gravou duas versões de Tanto Mar, uma a festejar o 25 de Adolescência e também uma segunda onde fala sobre a sarau já \”murcha\”, porém da que ainda subsistiam sementes.

Fausto foi um dos músicos mas politicamente engajados no pós 25 de Mocidade. Nesta melodia protesta vs um projecto de uma fábrica nuclear – \” para pequeno número de mortal\” – planeada para Peniche, porém com um seguimento e também uma melodia que podiam ter oferecido uma música de paixão.

É uma melodia de protesto contemporânea que virou hino de uma geração. Os Deolinda estrearam a cantiga no Coliseu dos Recreios e também rápida se difundiu pelo YouTube, chegando a milhares de pessoas que se identificaram com a letra marcadamente irónica de Que Parva que eu Sou.

Em 1978 o FMI aterrou na Portela para implementar um projecto de resgate

Para Portugal. José Mário Albugíneo, responsável do álbum Mudam-se os Tempos, Mudam-se as Vontades e também de uma adaptação para teatro de A Mãe de Supremo Gorky e também fundador do Conjunto de Feito Científico, o G. A. C., era claramente vs este \”internacionalismo monetário\” e também demonstrou-o numa das canções mas marcantes da sua discografia – e também da música popular portuguesa do século XX.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *