Musicas Funk Versos Sexualidade Feminina

Nos vamos falar sobre Musicas Funk Versos Sexualidade Feminina, já parou para analisar que musica funk pode ser considerado uma libertação feminina?, isso porque os palavrões eram mais falados pelos homens, só eles tinham total liberdade de demonstrar sua franqueza sexual em publicoMusicas Funk

Musicas Funk Versos Sexualidade Feminina No Funk Carioca

Talvez voces não saiba mas os funk mais pesados são os cariocas, o mais interessante é que esses funks alguns são cantados por mulheres, um bom exemplo são os de Valesca Popozuda, isso é a maior prova que as mulheres tem muita liberdade nos dias de hoje não como antigamente, mitos criticam esse estilo de musica, esquecendo que existe toda uma historia que mesmo sendo tão ruim para muitos trouxe muitas coisas boas.

Se analisar um pouco esta letra nos homens podem pegar alguns dicas e vamos descobri como fazer uma mulher gozar do jeito que elas gostam, mesmo com toda essa liberdade que as mulheres tem hoje muitas não tem coragem de falar do que gostam na cama, e o funk carioca veio para muitas mulheres se liberarem.

eu posso até deixar aqui uma dica para os homens que gostam de escutar funk proibidão, que é uma musica de Valesca Popozuda

Comece a me chupar
Metendo pra lá e pra cá

Comece a me chupar [2x]
Depois come o meu cuzinho
Só pra me fazer gozar
Comece a me chupar [2x]
Depois come o meu cuzinho
Só pra me fazer gozar

E vai chupando, e vai chupando,
e vai chupando, vai chupando, vai chupando, chupando, chupa gostoso!
E vai chupando, e vai chupando,
e vai chupando, vai chupando, vai chupando, chupando, chup.. que isso!

Agora para! E vai metendo..
E vai metendo, vai metendo, vai metendo e vai metendo, mete gostoso!
Agora para! E vai metendo..
E vai metendo, vai metendo, vai metendo e vai metendo, vai metendo!

Eu ja to louca, não to mais aguentado
Esse cara é pirocudo, ele tá é me rasgando
Eu ja to louca, não to mais aguentado
Esse cara é pirocudo, ele tá é me rasgando

Funk Carioca Proibidão versos Funks Leves

Tanto o homem como a mulher podem demonstra o que á de mais profundo do seu ser, e na musica funk tem a oportunidade de demonstrar a sexualidade, mas também podem sair letras bem interessantes, com refrães bem criativos, como “estou ficando atoladinha”, existe inúmeras musicas que se pode chamar de funk melody, talvez já tenha até lembrado de um neste momento.

esses são românticos se fala de amor entre homem e uma mulher, ainda assim não sai do tema sexo porque não se pode falar de amor entre homem e mulher sem lembrar do sexo, não estou defendendo o funck proibidão, só acredito que tudo tem seu lugar, o ser humano precisa de expulsar seus demônios, eu digo isso porque se não fosse assim não existia os bailes onde rola de tudo relacionado ao erotismo, mas isso não quer disser que se pode botar um funck desse para tocar em uma emissora em horário nobre com crianças assistindo ou mesmo pessoas que não gostam.

Funk Carioca Proibidão Desvaloriza a Mulher?

Eu acredito que não porque a imagem da mulher já se pode denegrir mesmo ela sendo santa, existe cantoras de funck pesado que fala o que pensa, o fato é que existe na mente de muitos homens a cultura do estupro, é o simples fato de se a mulher esta em um baile funk dançando ela quer ser estuprada.

isso é doentio porque na verdade o cara que pensa assim ele pode estuprar uma mulher mesmo ela estando toda enrolada como se fosse uma mulher da cultura muçulmana, em países que as mulheres se vestem aparecendo só os olhos ela sofrem abusos, isso mostra que a roupa não impede nada,

o fato é se não gosta de mulheres livres as mais liberais então não frequente lugares onde elas estão, porque pode chocar seus olhos, qualquer mulher gosta de ser desejada não molestada, mulheres gostam de sexo tanto quanto os homens, e isso não e motivo de valer a cultura do estupro.

Conclusão Funk

independente do seu gosto referencia musical o que mais importa é o respeito pelo seu semelhante, o que pode ser chocante para uns pode ser normal para outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *